Notícia

Itaipu defende conservação da biodiversidade para futuro da hidrelétrica

Binacional apresentará em Glasgow experiências na produção de energia limpa e proteção dos ecossistemas.
Itaipu defende conservação da biodiversidade para futuro da hidrelétrica
Catve

A Itaipu Binacional estará presente na Conferência Mundial do Clima (COP26), em Glasgow (Escócia), de 1° a 12 de novembro, para participar de uma série de eventos em que apresentará a experiência de mais 37 anos de geração de energia limpa e renovável e a conservação de ecossistemas como estratégia para assegurar a produção hidrelétrica no longo prazo.

A usina é a que mais gerou energia na história, com uma produção acumulada de mais de 2,8 bilhões de Megawatts-hora (MWh) desde 1984, quando a primeira unidade geradora entrou em operação. Já na implantação do projeto, a formação de um cinturão verde em torno do reservatório foi uma das principais estratégias adotadas para promover a chamada segurança hídrica - água em quantidade e qualidade não apenas para a geração, mas também para outros usos do reservatório, como o abastecimento municipal, agropecuária, pesca, turismo e manutenção da vida selvagem.

Nesta COP, a participação da binacional se dá em meio à maior crise hídrica já enfrentada pelo setor elétrico brasileiro. A partir de 2012, a usina adotou um sistema de gestão da operação e manutenções preventivas que busca tirar o máximo proveito de toda a água que chega ao reservatório. Essa estratégia foi aperfeiçoada nos últimos dois anos, levando a Itaipu a estabelecer novos recordes de produtividade (a quantidade de quilowatts-hora gerados por metros cúbicos de água que passam pelas unidades geradoras).

Além dessa estratégia de adaptação, a manutenção de mais de 100 mil hectares de Mata Atlântica em ambas as margens do reservatório e o apoio à conservação de outras áreas verdes no território estão diretamente ligados a dois outros temas centrais do enfrentamento às mudanças climáticas: mitigação (por conta da fixação de aproximadamente de 5,3 milhões de toneladas de CO2/ano, contribuindo com a retirada desse gás de efeito estufa da atmosfera) e resiliência (a estrutura verde ameniza impactos climáticos e fornece serviços ecossistêmicos para a região, que são benefícios naturais, como o ciclo da água, polinização, fertilidade do solo, entre outros).

Grande parte dessa floresta protegida foi recuperada a partir de áreas degradadas pela agricultura. Somente no Brasil, a Itaipu plantou e manteve mais de 24 milhões de árvores nativas da Mata Atlântica. Essas áreas protegidas foram reconhecidas pela Unesco em 2019 como Reserva da Biosfera, no programa O Homem e a Biosfera.

"Dessa forma, a Itaipu empreende esforços para a conservação do meio ambiente que beneficiam não apenas o seu negócio, que é a geração de energia, mas outras atividades econômicas que fazem parte da vocação da região, como a agropecuária e o turismo", afirma o diretor de Coordenação da Itaipu, general Luiz Felipe Carbonell, que representa a empresa em Glasgow. "É uma estratégia que reforça o grande potencial do Brasil para a economia verde, que se beneficia da rica biodiversidade de nosso país, além de contribuir com os compromissos do Brasil no Acordo de Paris", completou.

Programa

Durante a COP, a Itaipu irá participar de reuniões bilaterais e de quatro eventos paralelos (side events), em que apresentará sua experiência em gestão territorial sustentável, produção de energia, conservação da biodiversidade e implementação da Agenda 2030 do Desenvolvimento Sustentável.

O primeiro deles, na quarta-feira (3), das 15h às 16h de Glasgow (11h às 12h de Brasília), é organizado pelo governo do Tadjiquistão e tem como tema o "Desenvolvimento de energia hidrelétrica: fornecimento de energia renovável e ambientalmente correta, garantindo a disponibilidade de água em longo prazo e evitando desastres naturais relacionados à água".

No dia 4 de novembro, às 11h de Glasgow (8h no horário de Brasília), no Pavilhão do Brasil, o segundo evento, promovido pelo Ministério do Meio Ambiente do Brasil, terá como foco o Programa de Gestão Territorial Sustentável da Itaipu.

Ainda no dia 4, no Pavilhão do Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais da ONU (UNDESA), às 14h de Glasgow (11h em Brasília), Itaipu participa do evento "Soluções Sustentáveis de Água e Energia e seu papel no combate às mudanças climáticas", organizado pela Rede Soluções Sustentáveis de Água e Energia, que conta com Itaipu e a UNDESA como membros fundadores

A Itaipu também é a organizadora do evento "Biodiversidade e mudanças climáticas: a importância da conservação dos ecossistemas para gerar energia limpa e renovável para todos", que será realizado no Pavilhão da ONU Mudanças Climáticas (UNFCCC), no dia 9 de novembro, às 15h30, horário de Glasgow.

Os eventos incluirão lideranças globais e representantes de setores públicos, privados e sem fins lucrativos, e organizações internacionais relacionadas à energia, água, clima e conservação da biodiversidade.

 

Quer saber mais sobre o Meio Amiente? Clique aqui.

Notícia: Catve.

Fonte(s): Catve

Comentários

Últimas notícias

Meio Ambiente
Carros se envolvem em acidente de trânsito no Centro de Toledo

Um dos motorista sofreu ferimento, mas recusou encaminhamento hospitalar.

Meio Ambiente
Auxílio Brasil começa a ser pago nesta terça-feira (18)

Investimento para os pagamentos supera R$ 7,1 bilhões.

Meio Ambiente
Criança é atropelada por carro em Toledo

Vítima estava em uma bicicleta quando foi atingida pelo veículo.